#pratiquenutriçãofuncional

Inscrições Encerradas :(

Curso de Extensão
FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO FUNCIONAL

Mas não fique triste, você pode entrar para a fila de espera que te avisaremos quando abrirmos as inscrições de outra turma.

Depoimentos reais de profissionais que 
fizeram o curso.

O que vou aprender com os Fundamentos da Nutrição Funcional?

Aula 1 - Gabriel de Carvalho
Onde tudo Começa- Anamnese
 A arte do Diagnóstico em Nutrição: extraia tudo na anamnese

- Nessa aula você aprenderá a sistemática do atendimento em Nutrição funcional. 
- Os princípios da Nutrição funcional. Os antecedentes, gatilhos, mediadores e condições que levaram o paciente a estar na condição que ele se apresenta.
- Você aprenderá a usar de forma eficiente o questionário de rastreamento metabólico que faz TODA a diferença na vida do nutricionista funcional. Auxilia a detectar sinais e sintomas de hipersensibilidade ambiental e alimentar e o nível de vitalidade do paciente.
- Perguntas Chave.
- Como explorar o histórico de cada uma das queixas.
- Relação com alimentos, refeições.
- Visão Global da Nutrição Funcional
- Inquérito Recordatório de 24h.
-  A Teia de inter-relações metabólicas da Nutrição funcional.
- Correlação de sinais e sintomas clínicos com deficiências/ excesso de macro e micronutrientes.
- Recomendações Nutricionais.
- Por quês "funcionais". 

1
Aula 2  
A Matriz da Nutrição Funcional
Nessa Aula você vai aprender a usar a mais importante e poderosa ferramenta da Nutrição funcional.

Você aprenderá como usar a matriz da Nutrição Funcional. Verá estudo de caso e o passo a passo para usar matriz com maestria, assim poderá ser mais efetivo em sua prática clínica. 
2
Aula  3 - Gabriel de Carvalho
Saúde Gastrointestinal
Saúde Gastrintestinal: Disbiose, hiperpermeabilidade e sua correção 

As sete funções do trato gastrointestinal, a diferenciando clinicamente hipo e hipercloridria e como tratá-las, como reduzir a formação de cálculos biliares, diagnosticar problemas de absorção, tratamento, frequência evacuatória ideal e como colocá-la em prática, nomes e funções de neurotransmissores e hormônios entéricos, fatores que influenciam na composição da microbiota intestinal, consequências (doenças) da alteração da microbiota intestinal (cientificamente referenciadas), tratamento das alterações microbianas intestinais com mudanças alimentares, de estilo de vida e com complementos, efeito dos medicamentos nas funções do TGI, e muitos outros detalhes com imediata aplicação clínica.
3
Aula 4 - Gabriel de Carvalho
Inflamação
Processo inflamatório: Fisiologia e tratamento

Por que o tema inflamação está ligado com a obesidade, síndrome metabólica, doença cardiovasculares, neurodegenerativas, câncer, artrite, hipertensão e muitas outras doenças? Aprenda aqui a tratar a inflamação a partir da sua causa, e assim, a tratar todas estas doenças. Por que uma pílula nunca vai solucionar o problema? Nutrigenômica é a resposta. Detalhando os gatilhos da inflamação e sua modulação: bactérias e seus subprodutos, agrotóxicos, metais tóxicos e PCBs, estresse oxidativo, hipóxia e isquemia, citocinas, alergias. Detalhando os mediadores da inflamação e sua modulação: eicosanóides derivados do ácido araquidônico suas funções, adequando a dieta do paciente quanto aos tipos corretos de gorduras a serem consumidas e suplementadas, uso de alimentos funcionais anti-inflamatórios, como chá verde, azeite, lignanas, antocianinas, omega-3, isoflavonas, cúrcuma, cogumelos, creatina, catequinas, licopeno.
4
Aula 5 
Gastroproteção
Gastrites e Úlceras, uma abordagem funcional

- Você vai conhecer os sistemas (níveis) endógenos de proteção gástrica.
- Conhecer os mediadores da citoproteção gástrica.
- Aprenderá os gatilhos de lesão gástrica.
- O que você precisa saber sobre o Helicobacter Pylori.
- Os fatores nutricionais no câncer gástrico.
- Tratamento nutricional para gastrites e úlceras.
5
Aula 6 - Gabriel de Carvalho
Alergias Alimentares Tardias
Alergias alimentares Tardias: Uma realidade pouco conhecida

Completamente referenciada, esta vídeo-aula inicia com os dez mais prováveis fatores ligados ao aumento da incidência de alergias na população, o alimento como um antígeno, classificação das hipersensibilidades. Mostramos então as amplas manifestações gastrintestinais, cutâneas, respiratórias, neuropsiquiátricas, autoimunes e outras possíveis manifestações das hipersensibilidades alimentares, tudo o que você precisa para convencer a si e ao seu paciente deste tema tão importante. Diagnóstico: dicas do exame clínico e diagnóstico através da forma mais simples, barata e de autovalor imenso, a “Dieta de Eliminação”, que é explicada de forma detalhada. O embasamento científico mostrará de uma vez por todas porque não podemos deixar de identificar e tratar em TODOS nossos pacientes este problema, endêmico, que causa tanto sofrimento, doenças e tem custos incalculáveis.
6
Aula 7- Gabriel de Carvalho
Saúde Tiroidiana
Saúde Tireoidiana: Atualização nos exames bioquímicos e conduta clínica

Apresentamos uma nova visão do hipo e hipertireoidismo, incluindo sua importância marcante na doença cardiovascular, síndrome metabólica, fibromialgia, autismo, TDAH e outras. Sinais e sintomas de hipo e hipertireoidismo e o teste da temperatura basal para avaliação da eficiência metabólica em queimar calorias. Envelhecimento e mudanças profundas na função tireoidiana periférica. Inflamação e elevação do T3 reverso. Papel do ferro, retinol, zinco, vit. C, Efeito do estresse mental e metabólico, influência das vitaminas E e C, retinol, ferro, selênio, zinco, iodo, metais tóxicos, isoflavonas, bociogênicos da dieta, medicamentos e poluentes ambientais na saúde / doença tireoidiana, central ou periférica. Há iodo demais na dieta brasileira? Como saber? Exames? Aprenda como avaliar isto e muito mais com TSH, T4 Livre, T3 Total, T3 Livre, T3 reverso, anticorpos Anti-TPO, anticorpos anti-Tg, tireoglobulina, além das importantíssimas relação T3 total / T3 reverso e T3 Livre / T4 Livre.
7
Aula 8  
Disfunção Adrenal
Diagnóstico clínico, laboratorial e tratamento definitivo

Conhecimento extremamente valioso na prática clínica.
- O que é
-Fatores e estilo de vida. Estresse. Sono..
- Como diagnosticar.
- Causas.
- Efeitos.
- Tratamentos.
- Alimentação.
- Suplementação
Fitoterápicos.
8
Aula 9 - Gabriel de Carvalho
Agrotóxicos
Agrotóxicos: O impacto na sua saúde

Classificação dos agrotóxicos (*agrtx) por ação, grupo químico e classe toxicológica. Total de consume de agrtx no Brasil, desde 2002. Índice de contaminação dols alimentos brasileiros, volume de consumo per capita, alto índice de câncer vs utilização na agricultura. Revisão sistemática sobre o efeito dos diferentes agrtx na saúde humana, Mecanismos de ação (genético, epigenético, oxidativo, imunológico, endócrino, mitocondrial e no microbioma) tóxica dos agrtx nos humanos e suas consequências: cânceres, Alzheimer, Parkinson, Esclerose Lateral Amiotrófica, asma, bronquite, infertilidade, defeitos de nascença, déficit de atenção e hiperatividade, autismo, diabetes e obesidade. Dano a mitocôndria e disbiose por diferentes agrtx. Foco no glifosato, o agrtx mais utilizado no Brasil: as mais de 20 culturas onde é utilizado, resistência a ele, classificação segundo OMS-IARC, ação na motilidade e mucosa gastrointestinal, no citocromo p450, ação sinérgica com alumínio e dano a pineal, hipótese de sua relação com sensibilidade ao trigo. Disrupção endócrina por pesticidas, infertilidade, qualidade do sêmen. Agrtx vs. Disfunção cognitiva, demência, Alzheimer e Parkinson, TDAH, autismo. Autoimunidade, obesidade, dislipidemia e síndrome metabólica. Técnicas de lavagem para remoção dos agrotóxicos: sal, vinagre, permanganato de potássio, suco de limão funcionam?? O que devemos e não devemos fazer.
hoje tem seu próprio negócio
9
Aula 10 
Detoxificação

Meio Ambiente, Toxidade, Detoxificação.
Entendendo a ligação ambiente, qualidade alimentar e doença. 

Quando é necessário? Como fazer? 

A carga tóxica e a ação sinérgica entre metais tóxicos, resíduos petroquímicos, pesticidas, fertilizantes, alergias e sobrecarga orgânica. Poluentes da água e avaliação da qualidade da água destinada ao abastecimento público. Desequilíbrio hormonal, xenoestrógenos, disruptores endócrinos e químicos estrogênicos. Poluentes do solo, orgânico persistentes, e a alta capacidade de persistir no ambiente e migrar ao longo da cadeia alimentar. Bisfenois policlorados e polibromados usados em plásticos adesivos, tintas, corantes e equipamentos elétricos e a alta capacidade de bioacumulação. Radiação, telefone celular e doenças relacionados a problemas comportamentais e tumores cerebrais, enxaqueca, vertigens, tumores das glândulas salivares. Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos liberados a partir da queima de carvão, madeira, lixo, tabaco derivados de petróleo e alimentos. Toxinas em alimentos de origem animal, combinação do leite de vaca com resíduos de pesticidas e antibióticos. Plásticos, e impactos da exposição a Ftalatos e Bisfenol A, exposição perinatal ao Bisfenol A. Alguns cuidados na utilização dos plásticos, as 20 toxinas de maior impacto sobre a saúde e os mecanismos de toxicidade. O Arsênico, os efeitos no organismo e a nutrição contra o arsênico. Os sintomas de intoxicação crônica e a nutrição contra o chumbo. O uso industrial do Mercúrio, concentração no leite materno, número de amálgamas dentários em mães, efeitos deletérios e a nutrição contra o mercúrio. Fontes de contaminação por cádmio, efeitos deletérios e a nutrição contra o cádmio. Fontes de contaminação por Alumínio. Exposição tóxica doméstica, sintomas da sobrecarga hepática. O suporte à destoxificação em um processo de 3 fases. Fatores e polimorfismos genéticos que influenciam a capacidade de destoxificar, plano alimentar destoxificante completo, a forma de inibição da mutagenicidade diversos fatores carcinogênicos
10
Aula 11 
Trigo e glúten

Será que fazem mal para você?

Pessoas saudáveis devem parar de comer glúten?
Desmestificando o glúten.
Sintomas.
Doença celíaca, alergias, sensibilidades.
11
Aula 12 - Pedro Bastos
Tudo sobre Leite
Leite tudo sobre ele. Aspectos positivos e negativos.

- Lacticínios, Alergias, Doenças Auto-Imunes e Osteoporose

- Persistência da Lactase - Aspectos Históricos, evolutivos e Clínicos

- Efeitos Hormonais e metabólicos do Leite

 
12
Aula 13 - Gabriel de Carvalho 
Ovo
Ovo: Desmistificando o alimento funcional.

Você vai saber mais sobre fatores de risco cardiovasculares e entendimentos do processo arterosclerótico. O impacto do ovo na saúde endotelial de indivíduos saudáveis e hipercolesterolêmicos. O impacto do ovo na resposta inflamatória de indivíduos com sobrepeso. Os efeitos dos ovos sobre a mudança das HDL e LDL. Intervenção com ovo em diabéticos em dieta hipocalórica, hipoglicídica, hiperprotéica, e efeito no perfil lipídico, glicemia e luteína sérica. Seis estudo epidemiológicos: quais as evidências de seu consumo sobre o risco de eventos cardiovasculares? Uso dos ovos na promoção da saúde ocular, saúde fetal, cerebral e alimentação da criança.
hoje tem seu próprio negócio
13
Aula 14 - Gabriel de Carvalho
Cacau
Cacau: um alimento especial benefícios na performance, estética e saúde

 Cacau, cientificamente, Theobroma cacau: alimento dos Deuses. PERFORMANCE: Revisão de onze estudos. Consumo de chocolate amargo ou achocolatado com alto teor de cacau, rico em flavanóis promove melhora da peroxidação lipídica, de marcadores inflamatórios, da pressão arterial, dos níveis de colesterol e LDL, da função endotelial, no equilíbrio glicêmico, insulinêmico e dor após o exercício, seja no consumo agudo (único), prolongado (2 semanas a 3 meses), seja em ciclistas, corredores, ou jogadores de futebol. Além disso, o consumo de chocolate amargo levou a reestruturação do sarcômero muscular em pacientes diabéticos. ESTETICA: Revisão de 6 estudos. Chocolate aumenta a foto proteção da pele, aumenta a circulação sanguínea cutânea e subcutânea, aumenta a densidade da pele e sua hidratação, reduz aspereza e descamação e melhora a sua estrutura. Foto proteção equivalente ou superior ao licopeno e betacaroteno. Chocolate pode piorar acne em homens suscetíveis a ele. SAÚDE: Revisão de 23 estudos. Consumo de bebida de cacau por nativos de Kuna no Panamá previne a hipertensão "da idade", apesar de maior consumo de sal e açúcar. Cacau reverte disfunção endotelial em diabéticos, melhora a resistência a insulina, aumenta HDL, reduz LDL peroxidada, melhora FMD, reduz pressão arterial, PCR, modula NO, adesão celular, inflamação, e estes efeitos são atenuados pelo açúcar! Cacau reduz a mutagenicidade e carcinogenicidade de diversas substâncias. Cacau tem efeito na preservação da cognição, melhora do humor e desempenho cognitivo (agudamente), penetração na BHE e diversas ações benéficas no SNC, seja em neuroproteção, seja na neurocognição. Consumo de cacau per capita no mundo se correlaciona com número de Prêmios Nobel por país! Cacau tem ação prebiótica pronunciado, e regula o metabolismo energético, hormonal diferente em indivíduos com trato de ansiedade ou não. Gestantes que comem chocolate na gestação dizem que seus bebês tem melhor temperamento aos 6 meses; tem menor risco de pré eclampsia, melhor pressão arterial e melhor marcadores hepáticos.
14
Aula 15 
Aloe Vera
Planta formidável para ser usada na sua prática clínica.
É tóxica?
Principais atividades do Aloe Vera.
Quando usar, em que casos usar, como suplementar.

15
Aula 16
Mitocôndrias
Importância clínica, toxinas e nutrientes importantes para a função mitocondrial.
O futuro da medicina virá através da mitocôndria.
Promoção da Longevidade e saúde metabólica pelo estresse oxidativo.
Hormese, vitagenes, resposta celular ao estresse.
Aumentando a longevidade.
16
Aula 17 
Gripes e Resfriados
Uma abordagem Funcional
 - Prevenção: - Vitamina C, Ferro, zinco, selênio, retinol, vitamina D. 
Cobre, Manganês.
Alérgenos.
Intestino.
- Intervenção. Como fazer?
Como suplementar? Manejos.




17
Imagem

Quem é o Gabriel?

O Gabriel de Carvalho é Nutricionista e Farmacêutico Bioquímico, foi o introdutor da NUTRIÇÃO FUNCIONAL, no Brasil, em 1999.
É palestrante nacional e internacional, é fundador e diretor do INA - Instituto de Nutrição Avançada, fundador, ex presidente, presidente de honra e atual vice presidente do IBNF - Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional.

"Tenho orgulho de fazer parte da NUTRIÇÃO no Brasil.
Em 1999, a ANVISA regulamentou os "Alimentos Funcionais". No mesmo ano, lancei um conceito muito mais avançado, através do primeiro curso, ocorrido em 23 de outubro de 1999. Eu estava formado a pouco mais de um ano, é inexplicável como tudo ocorreu, mas com o apoio da família e muita paixão, ali começava a história da NUTRIÇÃO FUNCIONAL no Brasil.
Naquele momento, eu não tinha ideia disso. Eu apenas fazia o que meu coração mandava. A partir daquele dia, minha vida e de outros milhares, mudaria para sempre.

Desde lá, até hoje, trouxemos ao mercado centenas de profissionais, nutricionistas e médicos, que haviam largado a profissão por não acreditar naquele trabalho que faziam antes.
A paixão pelo trabalho volta a correr nas veias de quem pratica Nutrição Funcional, dando a certeza do caminho verdadeiro que é a NUTRIÇÃO FUNCIONAL."

Participação  dentro de um grupo, whatsApp ou Telegram com a participação do Gabriel de Carvalho, onde ele te ajudará, em tempo real, nos seus desafios na prática clínica.

Imagem

DÚVIDAS? Chame o nosso Time!!!

suporte@gabrieldecarvalho.com.br

WhatsApp: (011) 99700-1697

www.gabrieldecarvalho.com.br
©Gabriel de Carvalho 2018 Todos os Direitos Reservados •